segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Raça e crise nos aeroportos

Há pouco tempo que o hábito de viajar de avião atinge um número cada vez mais elevado de pessoas. Fruto  não apenas da boa fase econômica, mas indiretamente também relacionada com as políticas de inclusão social e redistribuição de renda. Gente que nunca havia  viajado de avião passou a experimentar o sabor de voar pela primeira vez, para desespero de alguns.  Por exemplo, um comentarista da Globo ficou famoso na internet, ao se referir ao grande número de pessoas que podem comprar carros hoje e dizer que "isso é culpa desse governo espúrio", no caso, o de Lula. Já os que lêem a Folha de São Paulo acham que  cada vez mais "o aeroporto parece rodoviária", como o próprio jornal disse.

Para alegria destes, no vídeo abaixo o pobre e preto rapaz terá como final o destino mais óbvio.


Ah, e a segurança? A segurança, claro.

 ...

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Pastor da casa própria

Ninguém pode duvidar que a religião e a fé podem causar verdadeiras reviravoltas nas vidas das pessoas. Este pastor, por exemplo:


O SBT é, ou era, a única rede de televisão que ainda não havia vendido seus horários para a religião. Mas diante da crise do seu grupo, Sílvio Santos negocia com alguns religiosos.

Crise, aliás, que também pode bater às portas da TV Globo caso ela perca os direitos de transmissão do futebol. Por isso, talvez, ela alimenta a discórdia no Clube dos 13.

E não devemos nos esquecer, nunca, jamais, never, que as televisões são concessões públicas.
...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O que a embaixada americana tem a aprender com a internet?

Quer saber o que pensa a embaixada americana sobre José Dirceu e o "mensalão"? Então abra a revista Veja. Sim, você não leu errado. A desacreditada revista faz a cabeça dos funcionários responsáveis por alimentar bases de dados com perfis de pessoas, partidos e governos para o governo americano. É o que se pode compreender por uma leitura não mais que superficial do 3o. lote de documentos do Wikileaks para blogs do Brasil.

Foram 33 documentos ao todo (em breve aqui os links), que abordaram as diversas fases de construção dos escândalos contra o governo Lula: caso Waldomiro Diniz, as 3 CPIs do caso "mensalão", a queda de José Dirceu e Palloci e a reforma ministerial.

Neste lote de documentos, aparecem várias avaliações equivocadas, suponho que por causa das mesmas fontes. Ou seja, confiaram em veículos da velha mídia conservadora, em especial, a revista Veja e o Globo e deu no que deu. Entre os chutes, cito:

- A previsão, por mais de uma vez, da "inevitável" queda de Henrique Meirelles;
- A construção passo a passo do impeachment de Lula;
- A candidatura de Garotinho à presidente pelo PMDB em 2006;
- E várias outras, como chamar Michel Temer de crítico de Lula (tudo bem que ele não vá lá muito com o Lula, mas daí a ser crítico são outros quinhentos), sobrevalorizar o fogo amigo petista e afirmar que Abílio Diniz substituiria Patrus Ananias no Ministério do Desenvolvimento Social.

Não vou reproduzir aqui todo o blá-blá-blá sobre o mensalão. Nenhuma novidade. Nenhuma análise esclarecedora. Apenas reproduções de matérias jornalísticas destes órgãos. E o que mais me surpreendeu foi isso.

É preciso apresentar a internet aos embaixadores americanos. Talvez esta seja, de fato, a maior contribuição do Wikileaks à política internacional.

 José Dirceu

As análises sobre José Dirceu variam. No início, expressões como "não há provas contra ele" e "ele tem ambições presidenciais", mas depois as suspeitas aumentam e, no final, após a sua queda, uma desconfiança que o "maquiavélico e cínico" José Dirceu se voltasse contra o ex-chefe. A decepção generalizada com as previsões equivocadas de queda e abalo maior no governo como um todo poderia ser um editorial de qualquer Jornal Nacional.  

Os temas: José Dirceu e mensalão foram sugeridos por internautas ao Wikileaks, através do blog da Natália Vianna. Vários blogs estão publicando matérias sobre os documentos, como o Blog da Maria Frô e o Futepoca.
... 

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Ditadura e anistia no Wikileaks

Uma coisa que chama atenção de quem lê os documentos liberados pelo Wikileaks é a quantidade de citações de revistas e jornais que se constituíram na frente de defesa conservadora brasileira,  que é contra os avanços sociais e econômicos e a favor dos setores liberais e moralistas do Brasil. Revista Veja, o Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e Organizações Globo são constantemente citados nos documentos. Em geral, quando os embaixadores referem-se à mídia, estão falando desses poucos veículos que dominam o noticiário no Brasil e são pertecentes a cerca de apenas 12 famílias.  Como no caso em que relatam o temor da “mídia” com o III Plano Nacional de Direitos Humanos. Aquela velha ladainha de que o Lula queria implantar a censura e um regime autoritário no Brasil.
Isto só aumenta e valoriza ainda mais a importância da chamada nova mídia,  que são as redes sociais da internet, blogs, jornais e revistas não alinhados com o interesse daquelas empresas tradicionais. Até o momento atual, elas dominam a quase totalidade da "mídia" nacional e atuam em bloco, coordenadamente, para fazerem valer sua visão e versão dos fatos, ao mesmo tempo em que se apresentam como únicas entidades  que defendem a liberdade no Brasil.  
Em pelos menos dois telegramas, há referências aos “resquícios negativos” ou “rancores” advindos da ditadura brasileira. Ditadura que, é claro, contou com a colaboração de boa parte dos veículos de mídia que hoje servem de fonte para os embaixadores americanos. Diferentes funcionários da embaixada americana expressaram  uma mesma percepção ambígua sobre o fim da ditadura brasileira. Oscilando entre pontos positivos e negativos do período militar eles afirmam, por exemplo, que “2/3 da população nasceu após a ditadura”, mas ao mesmo tempo expressam uma reiterada preocupação com o recalque social do período ditadorial brasileiro. Embora em muitos destes telegramas chama-se a atenção para os tais resquícios mal resolvidos, eles aparecem ao lado da incrível e lunática insistência em dizer que os militares não querem tomar parte na política nacional. Em vários pontos  eles se contradizem, pois os próprios documentos desmentem esta visão e afirmam: qualquer processo que revise a lei da anistia sofrerá forte oposição militar. Ou seja, para os americanos haverá, mais cedo ou mais tarde, conflitos sociais em torno destas questões que, aliás, o governo Lula quis evitar.


Como já disse, colocarei aqui os links para a íntegra dos documentos. Assim que retornar das férias. Mas gostaria de terminar citando um trecho que achei muito significativo da visão dos americanos sobre o que Dilma Roussef deveria fazer com o Plano Nacional de Direitos Humanos: "Whether or not the plan is taken up by the new Brazilian government that takes office January 1, 2011, these fissures are unlikely to end with significant disruptions in Brazilian society or politics, but will remain a source of friction, and occasional headlines, for years to come".

Diferentemente de outras ditaduras, como a da Argentina, Chile e Uruguai, o Brasil  insiste em jogar para debaixo do tapete o julgamento de integrantes do regime por crimes contra a humanidade. O ex-ditador argentino Videla, por exemplo, foi recentemente condenado à prisão perpétua, pela enésima vez, pela justiça argentina. No seu julgamento, ele se defendeu dizendo que seu país encontrava-se em estado de guerra contra grupos oposicionistas terroristas. Aliás, segundo ele, ainda encontra-se!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O que o Wikileaks diz sobre o Daniel Dantas

Daniel Dantas foi um dos nomes mais pedidos no Wikileaks, na enquete feita pela Natália Vianna entre os internautas. É que o Wikileaks está com uma nova estratégia de divulgação, além dos jornalões Folha e Globo, que agora escutará o público e envolverá alguns blogs brasileiros, dentre eles o nosso. 

Mas, infelizmente, há poucos documentos confidenciais sobre o banqueiro. Entre aqueles liberados com exclusividade para os blogueiros constam apenas três, sendo que um já havia sido publicado.

Como estou de férias, vou fazer apenas um rápido resumo de um deles. Não tive tempo de pesquisar com cuidado. Abaixo irei colocar no decorrer da semana o link para a íntegra dos documentos. O documento a que me refiro é datado de 03/10/08. Praticamente aceita a versão da hilária revista Veja para o caso do grampo do Gilmar Mendes, cuja gravação ou demais provas até hoje não apareceram. Tanto que a própria embaixada americana não acreditou muito nas informações obtidas, dizendo que apesar de sua fonte ser confiável, as informações eram sem fundamento. Entre os nomes que aparecem no documentos estão o de 2 assessores legilastivos: Roberto Carlos Martins Pontes e Joanisval Brito.  Por outro lado, os documentos também relacionam a crise da ABIN, que acabou mal para Paulo Lacerda, aos recalques do fim da ditadura militar. Uma crise de identidade. Mas enfim, o nome de Daniel Dantas aparece citado no documento apenas para dizer do que se tratava a Operação Satiagraha e os vários habeas corpus concedidos pelo Gilmar Mendes a seu favor. Não é a toa que um conhecido blogueiro chamou Gilmar Mendes, ao vivo, em rede nacional, de Gilmar Dantas.   


sábado, 19 de fevereiro de 2011

Intervenções em muros

Projeto Muros, de Belo Horizonte, seleciona propostas de intervenções artísticas em muros da cidade.



Maiores informações em muros.art.br

...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Samba de viola

Enquanto uns vão para a Bahia, terra do rock, samba, modas de viola e axé, outros acabam de lá chegar.

Samba de Viola from Playing For Change on Vimeo.

É para dizer que tirei uns dias de folga. Volto já. Mas o blog não para.
...

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Seu Agostinho: O velho da flauta

Era um ex-funcionário da UFMG, talvez do Setor de Obras. Depois que aposentou-se, ele começou a recolher pedaços de canos nas ruas e fazia deles sua flauta. Andava com aquilo amarrado em volta do corpo. Todos os dias, por volta das 11 horas, atravessava o Campus Pampulha, a pé, em direção ao bandeijão. Permanecia no restaurante por quase três horas, do lado de fora, tocando sua flauta sem furos. Chamava a atenção sua roupa, sempre estava a velha camisa cinza do Setor de Obras por cima, como se estivesse indo trabalhar. E era como se. Aliás, este setor hoje não existe mais, foi todo privatizado/terceirizado por decisão dos ilustres doutores que solem administrar a universidade pública brasileira.

Alguns frequentadores do bandejão tentavam estabelecer com ele algum vínculo, mas era muito difícil. Outros, faziam dele motivo de piada. Já eu, sempre lhe sinalizava com a cabeça em um ato de agradecimento. Era quase impossível tentar conversar. Aliás, ele nem podia, que bobagem. Minha maior ação afetiva foi lhe pagar o almoço sem que ele soubesse. Juro que queria ter visto a reação do seu Agostinho.

Agostin, Augostinho ou Agustin... Nunca soubemos direito sequer seu nome. Mas mantínhamos com ele, pelo menos alguns de nós, uma relação de carinho e silencioso respeito.

Seu Augustim comia muito, aumentando ainda mais o escárnio de algumas pessoas contra ele.  Sempre achei que era sua única refeição diária. Um prato só para as saladas. O outro com muito, muito arroz mesmo.  De sobremesa, umas quatro ou cinco laranjas. Ele tinha até uma comunidade no Orkut chamada "Véi da Flauta", que a princípio eu achava meio preconceituosa, pelo nome. Hoje nem sei como está porque felizmente não tenho mais Orkut.

Todos os dias após tocar e almoçar, seo Agustin retornava para casa caminhando e tocando sua flauta sem furos pelas ruas do Campus até o bairro ao lado, onde morava.

Apesar da fala atrapalhada, ele explicou nesse vídeo como aprendeu a tocar:  ouvindo os passarinhos, as paredes e os prédios cheios de canos. Por uma ironia qualquer, bem em frente às salas da Escola de Música, ele diz que os prédios estão dormindo.

"- Aos canos só lhes falta o vento".

Pessoas como seu Agostinho fazem muita falta.


* Texto em homenagem ao Seu Agostinho, o Velho da Flauta, cuja flauta o vento ainda sopra gentilmente na memória.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Estudar cinema em Cuba com bolsa parcial

SELEÇÃO EICTV 2011

A Coordenação dos Exames de seleção para a EICTV no Brasil comunica a todos que estarão abertas até o dia 11 de março as inscrições para o Processo Seletivo 2011 / 2014. As provas serão aplicadas nos dias 18 e 19 de março, em cinco cidades: Belo Horizonte / MG, Recife / PE, Florianópolis / SC, Goiânia / GO e Belém / PA.

Serão oferecidas sete especializações - Direção, Produção, Roteiro, Fotografia, Som, Documentário e Edição. Cada candidato deverá optar por uma destas especializações.

Do Brasil, serão selecionados de quatro a seis candidatos que irão fazer parte de um grupo de 40 estudantes de todo o mundo, principalmente da América Latina. O curso tem duração de 3 anos. O início está previsto para setembro de 2011 e término em julho de 2014.

Condições e documentos exigidos:

Os documentos e materiais serão entregues no dia 18/03, antes dos exames escritos.

1) Ter Idade entre 22 e 29 anos (nascidos entre 1980 e 1988).
2) Preencher e enviar por e-mail a ficha de inscrição para a comissão do local onde fará a prova (O candidato deve levar uma cópia impressa, no dia da prova).
3) Apresentar Certificados legais de estudos que demonstrem que concluiu dois anos de estudos sistemáticos, técnicos ou universitários em qualquer carreira. (Apresentar os Títulos ou Diplomas em fotocópias legais).
4) Apresentar seu currículo impresso.
5) Apresentar Carta de motivação, com não menos que 3 laudas, que justifique seu interesse em estudar cinema. No caso de este texto estar escrito em português, o candidato deve apresentar uma cópia em espanhol.
6) Apresentar um Auto-retrato do candidato, em qualquer suporte, técnica ou formato.
7) Apresentar um arquivo pessoal (portfólio), com materiais em cine, vídeo, foto fixa, música, artes gráficas, literatura, teatro, imprensa, e outros, em cuja elaboração haja participado ou desempenhado um papel significativo e criativo, e que seu nome figure nos créditos da mesma.
8) Pagar a taxa de inscrição de 50 reais (o pagamento deve ser efetuado em dinheiro, no dia da prova).
9) Entregar seis fotos, tamanho 10x10cm. Uma das fotos deverá ser afixada no local apropriado da ficha de inscrição.
10) Certificado médico de aptidão física e mental.

Processo de seleção

Cada candidato responderá à 2 provas escritas: uma prova de conhecimentos gerais e uma prova correspondente à especialização que escolheu. Os candidatos aprovados nas provas escritas passarão por entrevista oral no dia seguinte (19 de março). A comissão julgadora, então, realiza uma pré-seleção indicando os melhores candidatos em cada especialização. Caso haja necessidade, algumas entrevistas serão realizadas no domingo, dia 20 de março. Os candidatos que tenham vindo de outras cidades terão prioridade, na ordem das entrevistas. Todo o processo é realizado em português. O material e a documentação dos selecionados são enviados, em seguida, para Cuba, para a EICTV. O Conselho Docente da EICTV faz a seleção final. Os nomes dos candidatos selecionados devem ser anunciados na segunda quinzena de junho.

A Prova Específica acontece entre 8h e 11:30h e a Geral, entre 13:30h e 16:00h, no dia 18 de março.

Matrícula

A matrícula para os três anos tem um custo de cinco mil euros por ano. Forma de pagamento: à vista (em setembro) ou em duas parcelas (setembro e janeiro). Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual subsidia parte do valor da matrícula dos alunos brasileiros sendo que o restante pago pelo aluno.

Os estudantes que ingressam no curso regular têm direito a hospedagem em quartos individuais, alimentação, transporte entre Havana e San Antonio de los Baños, assistência médica primária e de emergência, material escolar e produção integral dos trabalhos em cinema e vídeo.

Após o preenchimento, a ficha de inscrição deve ser enviada por e-mail para eictvbrasil@gmail.com.

Maiores informações e ficha de inscrição aqui

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Disco Voador em Jerusalém

Só o Mubarack, digo Barack, não Osama, o Obama, para explicar esse Ovni.



Neste aqui, de um ângulo mais perto:






Assustou? Bem, nesse link está explicado como foi feita esta excelente farsa.

...

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Cablegate



Passados quase dois meses do lançamento dos documentos das embaixadas americanas, o WikiLeaks vai começar uma nova estratégia de divulgação aqui no Brasil.

A partir de agora, vamos deixar o público escolher quais os temas que devem ser pesquisados no arquivo de documentos da embaixada americana e consulados – que serão depois publicados no site do WikiLeaks.

Basta responder (aqui ou no wikileaks) a esse post pedindo um tema, figura pública ou evento a ser pesquisado, que eu vou selecionar os documentos. Todos os pedidos serão publicados, e os temas mais pedidos terão prioridade.

Para a divulgação, vamos fazer parceria com uma série de blogs e veículos independentes, entre eles: Carta Capital, Conversa Afiada, Luis Nassif Online, Blog do Mello, Escrevinhador, Viomundo, Nota de Rodapé, Maria Frô, Fazendo Média, Futepoca, Elaine Tavares, Gonzum, Blog do Rovai, Blog da Cidadania, Altamiro Borges e Doutor Sujeira.

É um experimento inédito. Até agora, Globo, Folha e WikiLeaks estavam usando seus critérios para julgar quais documentos seriam publicados por vez, algo “de cima pra baixo”. Dessa vez, o próprio público vai decidir, invertendo a lógica da produção da notícia.

Os documentos do Cablegate compreendem cerca de 3 mil  telegramas enviados pela embaixada de Brasília e pelos consulados de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife entre 2003 e 2010.  As publicações começam na próxima semana.

***

Vejam que boa a notícia que nos traz a Natália Vianna, uma jornalista independente que coordena os trabalhos do Wikileaks no Brasil. Para participar, você pode acessar o blog wikileaks (via Carta Capital) ou enviar através  do doutorsujeira mesmo que encaminharemos a ela. 

Aliás, a Natália concorre ao Prêmio Mulher Troféu Imprensa. Aproveite e dê seu voto a ela. Fortaleça o novo jornalismo.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Mal de Parkinson

Quem tem um parente com Mal de Parkinson ou Mal de Alzheimer sabe das dificuldades de acompanhar um paciente com os sintomas avançados destas doenças, que afetam principalmente a memória. O Mal de Parkinson é caracterizado também pela dificuldade motora, que costuma aparecer na forma de tremedeiras. O boxeador americano Mohamed Ali (Cassius Clay) e o ator Paulo José possuem o Mal de Parkinson.

Em que pese o tom um pouco ufanista da reportagem, vemos que os avanços da ciência são muitos quando se trata de uma doença que aflige os países ricos. Claro que as pesquisas beneficiam a todos os países, mas não se tem o mesmo financiamento e empenho da indústria, institutos de pesquisas, universidades e fundações quando se trata de pesquisas de doenças tropicais, como a malária. Miguel Nicolelis é um neurocientista brasileiro que abriu um instituto em Natal (RN).



...

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Todo passageiro tem que ir onde o artista está

Eis uma bela corrida de táxi até a rodoviária de Belo Horizonte, na companhia de um motorista que faz um som de primeira. Vejam que beleza.



...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

As Incontáveis Desgraças VI - Confesso que sequei

Confesso que Sequei é um dos textos mais sinceros que li sobre as incontáveis desgraças que afligem meu time do coração. Aproveito o início do ano futebolístico para relembrar aquele fatídico Torneio Início. Esse é só um trecho. O autor é Francisco Antero. Na verdade, a autoria desta pérola foi da FMF: 


O Torneio Início do Campeonato Mineiro é uma competição que acontece em um só dia, reunindo todas as equipes do Módulo I. São partidas eliminatórias de vinte minutos cada, que, em caso de igualdade de tentos, vence aquele que obteve maior número de escanteios; persistindo a igualdade, cobrança de tiros livres da marca penal. Sim, companheiros, escanteios decidem a partida. Esse torneio vem das priscas eras da Federação Mineira de Futebol, que lá pelos idos da década de sessenta abandonou a idéia. Sentiram tanto a falta do negócio que voltou a ser disputado somente duas vezes, uma 1983 e outra em 2006.

Não que eu estivesse dando qualquer trela para Atlético ou Cruzeiro ganharem ou perderem aquela bagana, ressuscitada em 2006 por ocasião dos 90 anos da FMF. Entretanto, como tudo era em um dia só, foi uma oportunidade única de estar no estádio vendo um jogo do Galo que não era contra nós. Ou seja, logo na primeira rodada, toda a claque do Guarani de Divinópolis viu-se acompanhada da torcida azul no Mineirão, que, cantando a plenos pulmões, apoiou o bugre mineiro rumo à acachapante vitória de dois escanteios a nada sobre o combalido time do Atlético. Todos os cruzeirenses rimos gostosamente comemorando o triunfo daquela esquadra da qual nem sabíamos o nome do lateral direito. Ou seja, secadores, em sua mais pura essência.

Caso alguém queira saber, de curiosidade, como terminou tudo, informo que a alegria durou pouco, mais ou menos uma hora, até o Cruzeiro ver-se derrotado por um tiro de canto de diferença para o Democrata de Sete Lagoas. O Jacaré sagrar-se-ia campeão do certame, tendo conseguido três corners a seu favor na finalíssima contra o próprio Guarani.


Agora minhas considerações: Este texto só poderia ter sido escrito mesmo por um torcedor do Cruzeiro,  pois como novatos na arte de ganhar, a secação alheia tornou-se das suas maiores especialidade na vida... Mas, brincadeiras a parte, achei a provocação do autor bem bolada. O texto é legal. Goza sem ofender, sem agredir. Porque subverte um pouco a lógica de guerra presente nos estádios e, principalmente, nas transmissões dos jogos, pela provocação sadia.  Gosto dos textos do Xico Sá e do Torero por causa disso, da elegância sutil, as vezes irônica, ao se referirem aos adversários. A foto acima é só um exemplo do espírito agressivo e guerreiro do futebol atual que contamina torcedores, jornalistas e dirigentes. Trata-se de uma cultura que vem sendo incentivada e vista como normal. "Abater, guerreiro, matador"  são todas expressões futebolísticas, como várias outras similares. A guerra, portanto, não é de torcidas organizadas. Combater as organizadas é como combater o pequeno traficante e permitir que empresários, políticos e juízes corruptos continuem a financiar o narcotráfico internacional e tráfico de armas. Pelo contrário, trata-se, isso sim, de uma guerra de representações culturais ligadas ao futebol.

Enfim, o texto completo desta e de outras secadas (sim, meus amigos, outros times já foram muito secados também) podem ser encontradas no site Impedimento clicando nesse link aqui.

...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

UPP's restringem funk

Nada contra o samba. Mesmo sendo de classe média. Até porque ele só se tonou samba assim como o conhecemos quando ascendeu de classe, digamos assim. Mas que há algo de podre no ar, isso há. Pois não levaram só os tanques e o que alguns chamam de paz. Estão levando regras culturais também. E não se poderia esperar uma visão de cultura diferente desta quando os fiadores são quem são. Vejam só.


Pra ler a reportagem completa, clique aqui.
...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Segredos de Estado

A Natália Vianna está respondendo, ela mesma, às perguntas enviadas ao fundador do Wikileaks, Julian Assenge. São perguntas que não puderam ser respondidas na entrevista que ele concedeu aos blogueiros brasileiros e publicadas aqui no blog.

Entre as informações já reveladas, as que achei mais interessantes são:

1 - Não há documentos do período FHC (haveria apenas um de 1998 com pouca relevância jornalística);

2 - Mas, sobre o chamado "mensalão" há vários documentos, que serão publicados em breve;

3 - Dentre os documentos vazados, apenas aqueles classificados como "secrets" foram para o Wikileaks. Não há documentos classificados como "confidenciais" nem "top secrets".


Imagem se houvesse.