quinta-feira, 30 de junho de 2011

Neve e o mercado do frio

Nessa época do ano, costumo ficar (mal) impressionado com as imagens e notícias, ou melhor, com a falta de notícias sobre a neve no sul do Brasil. O Diário Ìntimo de Mi Primo en Toronto conta a saga de um imigrante que vai de Santa Fé para Toronto. Além de falar das ilusões migratórias e dos destemperos do clima, o texto é muito engraçado e foi lido num programa de rádio argentino, antes de ir parar no Youtube em formato de vídeo.



A forçosa indústria da neve quer fazer do sul-maravilha brasileiro um destino turístico a qualquer custo, como pode ser lido aqui no Diário Gauche. O vídeo está em espanhol, mas dá pra entender tudo, eu acho.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Sobre a morte de Paulo Renato

É bom respeitar a memória deste país. Eis apenas parte de um texto de Idelber Avelar sobre detalhes não revelados da morte do ex-ministro da Educação Paulo Renato de Souza:

(...) Faltaram alguns detalhes. A Folha de S.Paulo escalou Eliane Cantanhêde para dizer que Paulo Renato deixou um “legado e tanto” como ministro da Educação. Esqueceu-se de dizer que esse “legado” incluiu o maior êxodo de pesquisadores da história do Brasil, nem uma única universidade ou escola técnica federal criada, nem um único aumento salarial para professores, congelamento do valor e redução do número de bolsas de pesquisa, uma onda de massivas aposentadorias precoces (causadas por medidas que retiravam direitos adquiridos dos docentes), a proliferação do “professor substituto” com salário de R$400,00 e um sucateamento que impôs às universidades federais penúria que lhes impedia até mesmo de pagar contas de luz. No blog de Cynthia Semíramis, é possível ler depoimentos às dezenas sobre o que era a universidade brasileira nos anos 90. 

Para ler a íntegra do texto, clique aqui.




....

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Medicina hindu

Dizem que era para ter sido uma simples chave de braço. Mas o golpe saiu errado, e daí nasceu a verdadeira garganta profunda: enfiaram-lhe algo goela abaixo. Não se assustem, ou não se alegrem, com as imagens do vídeo. Elas não são muito fortes. Elas apenas mostram o poder de cura da medicina oriental ou hindu ou paquistanesa - não sei direito.

sábado, 25 de junho de 2011

Frelimo - Moçambique

Lembrei de um antigo slogan dos aparelhos de surdez Audisom: "Para quem escuta, mas não entende bem as palavras". Apenas para contextualizar, a Frelimo é a Frente de Libertação de Moçambique, um movimento que lutou pela independência de Moçambique, vindo a se tornar, anos depois, um partido político. Eles combatem os surumáticos (maconheiros), entre outras causas.

...

terça-feira, 21 de junho de 2011

Um Barrilete Cósmico contra a Xenofobia e o Preconceito

É comum xingamentos racistas contra jogadores brasileiros e africanos na Europa. Mas, este tipo de preconceito não é exclusividade somente dos europeus. Uma das ocasiões em que se aceita que o preconceito, o ódio e demonstrações de xenofobia aflorem livremente são durante as partidas de futebol.  Isto acontece em qualquer lugar. A torcida do São Paulo, por exemplo, nunca escondeu seu ódio ao tricampeão brasileiro Richarlysson, que era vaiado após os gols que marcava pela "suspeita" de ser homossexual.  E assim, narradores de futebol podem nos ensinar durante um jogo  o quão pequeno e atrasado é o povo futebol boliviano; como muitos poloneses estão certos em odiar os alemães, da rivalidade preconceituosa entre portugueses e espanhóis, do despeito mútuo entre franceses e ingleses, etc. Aliás, historicamente estes conflitos entre nações nada tem a ver com o futebol. 

Sinto-me envergonhado como cidadão brasileiro toda vez que ouço as vociferações preconceituosas de narradores esportivos, como acontece nos jogos de Brasil e Argentina. Quantos barriletes cósmicos ainda precisarão cair sobre a Terra para que, tanto lá como cá, saibamos simplesmente admirar um bom jogo?

Há 25 anos atrás (precisamente em 22/06/86), o relato que se segue fez juz a um dos gols mais bonitos da história do futebol. Difícil, muito difícil, dizer qual foi o mais bonito, se o gol ou a narração consciente daquele  homem que percebe o momento histórico e desaba em emoção e adjetivos superlativos:


O nome do narrador, que chora de emoção, é Victor Hugo. É impossível para mim entender porque tanto ódio brasileiro contra os argentinos. É impossível entender o ódio.

Como campo simbólico, o futebol seria uma forma razoável de ultrapassar batalhas  antigas e estereótipos negativos. O esporte possui a possibilidade da sublimação, um mecanismo de defesa que, se bem utilizado, pode ser positivo. É o que informa Freud com suas incansáveis análises das obras de arte. Mas, nos encontros esportivos a sublimação passa ao ato. A força, a agressividade  e o ódio são qualidades cultivadas, lembradas, incentivadas e preservadas. 

Que expressões xenofóbicas no esporte possam ser o combustível da vitória no campo esportivo poderíamos até discutir. Nunca, porém, aceitar.
 ...

domingo, 19 de junho de 2011

A emissora do pensamento único e as drogas

Chega a ser até engraçado, para não dizer triste, assistir uma jornalista da Globo descobrindo, incrédula e boquiaberta, que não existe pensamento único quando o assunto é drogas. E a entrevista acabou logo. Perguntemos aos universitários?



Estamos iguais se você não entende que tipo de entrevista é esta na qual se espera que a entrevistada fale o que a entrevistadora (e seu patrão, of course) deseja, e não o que a entrevistada pensa.

Se a pesquisadora não se surpreende com suas descobertas, aparentemente, há uma surpresa da apresentadora quando a pesquisadora emite suas opiniões que, aliás, estão baseadas em estudos científicos, como foi ressaltado no início da entrevista e no letreiro da tela. Como eu disse, não sei se rio ou se choro.

* O título desse post é uma referência ao livro "A Cidade do Pensamento Único", de Ermínia Maricato, Otília Arantes e Carlos Vainer, da Editora Vozes.

...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Encontro de blogueiros

Você assistiu aqui a transmissão ao vivo do II BlogProg, através da TVT. Em breve traremos algum material sobre o encontro. A programação foi a seguinte:

Dia 18 de
junho, sábado

9 horas – A luta por um novo marco regulatório da
comunicação.

- Deputada Luiza Erundina – coordenadora da Frente
Parlamentar pela Liberdade de Expressão;

- Jurista Fábio Konder Comparato
– autor da Ação de Omissão (ADO) do Congresso Nacional na regulamentação da
comunicação;

- Professor Venício Lima – autor do livro recém-lançado
“Regulação das comunicações”.

14 horas – Oficinas autogestionadas e
simultâneas.

1- Os partidos e a luta pela democratização da
comunicação.

- José Dirceu (PT), João Arruda (PMDB), Brizola Neto (PDT),
Renato Rabelo (PCdoB), Randolfe Rodrigues (PSOL) – mediação: José Augusto
Valente;

2- O sindicalismo na era da internet.

- Artur Henrique
(CUT), Luis Carlos Mota (FS), Nivaldo Santana (CTB), Ricardo Patah (UGT),
Ubiraci Dantas (CGTB) e Toninho (Diap) – mediação: Rita Casaro;

3- A política da internet, tecnologias e a neutralidade na rede.

- Sérgio Amadeu, Marcelo Branco, Ricardo Poppi, José Carlos Caribé, Tatiane Pires –
mediação: Diego Casaes;

4- Arte, humor e militância na internet:
compartilhando experiências.

- Mediação: Sérgio Teles;

5- Reforma
agrária e as perspectivas na comunicação.

- Gilmar Mauro, Rodrigo Vianna,
Letícia Silva, Sergio Sauer – mediação: Igor Felippe;

6- Mulheres na
blogosfera.

- Luka da Rosa, Amanda Vieira, Mayara Melo – mediação: Niara
de Oliveira;

7- Perseguição e censura contra a blogosfera.

- Paulo Henrique Amorim, Esmael Morais e Lino Bocchini – mediação: Altamiro
Borges.

8- A militância digital e as redes sociais

- Eduardo Guimarães, Luis Carlos Azenha, Conceição Oliveira (Maria Frô) – mediação:
Conceição Lemes.

9- Lan Houses e a internet na periferia.

- Mediação: Mario Brandão.

10- A outra economia da comunicação.

- Ladislau Dawbor, Marcio Pochmann, Clayton Mello – mediação: Renato Rovai.

• Oficina sobre ferramentas do blog – mesa: Marcos Lemos;

Dia 19 de junho, domingo

9 horas – reuniões em grupo: troca de experiência, balanço e desafios da blogosfera progressista;

14 horas – Plenária final: aprovação da carta dos blogueiros e constituição da nova
comissão nacional organizadora.

Tempo de sol, lugar frio

No hemisfério sul, comemora-se o solstício de inverno em torno do dia 21/06.  Por isso, na Suécia não haveria o Inti Illami, que é a festa do sol. Ao contrário do que possa parecer.




...

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Museu dos relacionamentos terminados

Aproveitando que o dia dos namorados ficou pra trás, eu gostaria de falar do site do Museu dos Relacionamentos Terminados. Ele funciona na Croácia, mas aceita parcerias em qualquer país. Aos interessados, vejam alguns objetos expostos no Museu, doados por pessoas preocupadas em enriquecer seu acervo:




terça-feira, 14 de junho de 2011

Liberdade e vadiagem

O próximo sábado promete. Duas marchas agitarão Belo Horizonte, a Marcha das Vagabundas e a Marcha pela Liberdade. Elas se juntam ao movimento Praia da Estação no centro da cidade na manifestação pela liberdade de expressão e não-violência. Será no dia 18/06/11, a partir das 13 horas. Veja mais informações sobre a marcha pela liberdade no link Marcha da Liberdade. A Marcha das Vagabundas está divulgada no cartaz abaixo.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Por falar em honestidade (II)

Ex-senador pelo Amapá derrotado nas últimas eleições e aliado de primeira hora do senador Aécio Neves (PSDB), o tucano João Bosco Papaléo Paes ganhou de presente um cargo no Conselho de Administração da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), estatal controlada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Mesmo vivendo em Macapá (AP), capital localizada a 3,1 mil quilômetros de Belo Horizonte, o tucano receberá R$ 6.160,00 todos os meses para participar das reuniões do conselho, que ocorrem, em média, a cada 60 dias.

(Trecho de reportagem do insuspeito jornal O Globo).

Recordar é viver: O "competente" Anastasia do partido tucano já havia dado um empreguinho pro deputado do Castelo e pra mais 5 fichas sujas. 



segunda-feira, 6 de junho de 2011

Sentimento oceânico

Talvez o sentimento oceânico explique não apenas o mal estar da civilização, mas tenha também algo a ver com o que aconteceu no clássico entre duas futuras potências futebolísticas da Oceania. Acompanhe uma disputa de bola entre as simpáticas equipes das Ilhas Cook e Tonga pelo sub-17 daquele oceano-continente, disputado em janeiro de 2011. E dê o seu palpite: será (será) que foi pênalti? Aos polemistas, digo já que tenho dúvidas das reais intenções daqueles jogadores.


quarta-feira, 1 de junho de 2011

Alternativa cultural é ser dono do próprio nariz

Em tempos de Ecad, um ex-membro do Ministério da Cultura aparece defendendo umas ideias malucas. Ele diz, por exemplo, que o aprisionamento do conhecimento é algo recente e que o Creative Commons não é contra o direito do autor.



O escritor que mais arrecada com direitos autorais no Brasil também pediu: "pirateiem meus livros". Leiam o que disse Paulo Coelho no Blog do Rovai.